Divindade Infernal

Hoje o nosso personagem é um homem disciplinado e estudioso, porem ele não imaginava o que estava por vir, e resolveu ultrapassar algo que ele ainda não estava preparado para lidar. Conheçam a estória de David.

As três horas da madrugada um chamado de socorro alerta os policiais na guarnição. Era um chamado de uma mulher apavorada no telefone suplicando por ajuda. Às suas palavras mal saiam.

Imediatamente uma viatura é enviada até o local. Chegando no endereço informado um misterioso som ecoava distante. A mulher desesperada informou de que vinha do quarto dos fundos da casa.

A Senhora Tália estava muito nervosa apontando para o pequeno quarto, Entrem, entrem por favor ele precisa de ajuda corram até lá por favor o ajudem! Grita a mulher desesperada. Os policiais se aproximam do quarto em busca da pessoa informada pela mulher. O quarto parecia conter um furacão. A porta fechada se batia fortemente, o homem no quarto gritava sem parar por socorro. 

A agitação era grande, os policiais se posicionaram para entrar no quarto. Quando arrombam a porta e se deparam com um homem no centro do quarto numa posição de meditação. O homem não se movia se quer um músculo. Mais os policiais podiam ouvir claramente uma voz pedindo socorro. Quando dois policiais olham para o teto do quarto e veem um corpo plasmado envolvido por braços e correntes no seu corpo. Parecia estar sendo sugado, no teto do pequeno quarto que havia uma espécie de buraco aberto. Os policiais ficam sem ação diante do estranho acontecimento.

Sem qualquer tipo de ideia para ajudar o homem eles resolveram atirar nos braços e correntes que o prendiam. Mais algo não deu certo, após os disparos deflagrados pelos policiais, o fenômeno se voltou para eles matando dois dos três policiais envolvidos. Tália se aproxima e pede para David parar com tudo. O policial sobrevivente da voz de prisão para David, Tália desesperada pede para o policial não levar o seu marido, mas não tem o pedido atendido.

Na delegacia um inquerido é aberto. O delegado muito atento a ocorrência descrita pelo policial Mendes solicita a prisão de David pelo homicídio dos dois policias mortos por ele. Tália não aceita a prisão dizendo: Não foi ele quem matou os policiais, fale Senhor Mendes o que aconteceu de verdade. Senhora procure o seu advogado. Disse Mendes friamente.

Semanas se passaram e o advogado de defesa muito combatente tira o seu cliente da cadeia e consegue prisão domiciliar para David até o próximo julgamento.

No segundo depoimento David tenta esclarecer o que de fato ocorreu naquele dia. Senhor David o senhor se compromete dizer a verdade? Sim meritíssimo.  O Juiz Magno declara a sessão iniciada, Agora comece Senhor David, nos confesse o que ocorreu naquele dia em sua casa. Sim meritíssimo.

Eu estava meditando no quarto dos fundos de minha casa, já faz algum tempo em que eu comecei a meditar, tudo começou há exatamente uma semana. Dia após dia eu me desenvolvia muito rápido nas minhas meditações. Eu pude sentir coisas que até então só ouvir falar nos livros de meditação. Há alguns dias anterior deste dia eu consegui algo incrível! Após me concentrar bastante eu pude enxergar pessoas que nunca havia visto antes, foi uma sensação muito estranha e agradável, por que eu não me senti mal com isso. 

A leveza do corpo é incrivelmente prazerosa tudo a meu redor tornou-se mais brilhante e mais leve. Porem uma força enorme eu senti vindo em minha direção. Eu desejei ficar para ver o que era. Mas percebi que algo muito maior me expulsava daquele lugar, como se quisesse me proteger de algo. Acordei da meditação me sentindo muito pesado e com uma forte dor de cabeça, fui dormir e após quase duas horas de sono resolvi voltar a meditar. 

Desta vez consegui me concentrar mais rapidamente, quando me vi novamente sentindo aquelas mesmas sensações estranhas, só que desta vez eu me vi aprisionado por uma força. Uma voz ecoava em minha cabeça, isso foi perturbador e quando menos esperava já me via amarrado de correntes e braços esqueléticos me puxando. Eu tentei sair mais não tive forças. A minha única atitude que pude realizar foi chamar pela minha esposa, pedindo-lhe ajuda. Quando menos esperava, Eu me assustei com um grande tombo na porta. Eram os policiais dentro do quarto olhando para mim sentado no centro do quarto. Nesse momento eu notei e escutei tiros na minha direção, depois disso eu percebi que dois policias foram feridos gravemente pelo o que me segurava.

Não sei dizer o que era, mais acredito que foi algo que não aceitou a intervenção dos policiais para me ajudar. Eu não matei os policiais meritíssimo havia algo que me impedia de retornar para o meu corpo carnal.  Obrigado Senhor David. Disse o Juiz.

Agora o senhor será julgado pelo júri popular Senhor David.

Tália aguarda aflita junto com o advogado o resultado da pena para David.

Chega a hora do veredito, Senhor David agora vou ler o resultado do julgamento popular. O Senhor foi julgado culpado pela morte dos dois policiais, pela pratica de bruxaria, a sua sentença será a morte. David se irrita e diz que é uma injustiça o que estão fazendo com ele! Muito agitado ele é detido por seguranças liderados por Mendes. Eu estava meditando e nada mais. Agora vamos para cadeia Senhor David. Disse Mendes.

David é levado pelos policiais, com muito ódio ele diz que todos pagaram pela injustiça! 

Chega o dia da pena, Tália está muito triste e se aproxima de seu marido. O que posso fazer por você antes do cumprimento da pena meu amor? David olha dentro dos olhos de Tália e fica em silêncio. 

Tália se afasta e David é levado para a sala de execução, a sua morte será química por envenenamento. Uma enfermeira chega na sala segurando uma seringa, a morte de David está próxima. 

Amarrado numa cadeira David de olhos fechados se concentra, respira levemente deixa a sua mente quase sem pensamentos. A enfermeira se aproxima e aplica a dose de veneno em David. 

Estranhamente ele não se move e após alguns minutos David começa a se tremer, os seus olhos viram ficando totalmente brancos, a sua boca se entorta espumando um liquido viscoso, seus braços amarrados se movem bruscamente. David está morrendo.  

De repente as luzes piscam sem parar. Quando David se levanta da cadeira, ainda de braços e pernas amarrados ele consegue se mover, com persistência ele consegue se soltar e começa a correr atrás das pessoas ao seu redor. A inferneira foi a primeira a morrer, ela tenta fugir mais logo é abatida e tem o seu pescoço quebrado. O policial Mendes entra na sala disparando todas as balas de sua arma em David, mais não consegue pará-lo sem munição Mendes se aproxima e com uma tentativa frustrada de parar o corpo de David quando os olhos de David se abrem. Olhando no fundo dos olhos do policial a criatura se revela e diz: Eu pude ver nos seus olhos todo o medo em sua pequena alma, agora você terá a sua morte. 

Mendes tem a sua mandíbula arrancada brutalmente. Mendes corre para fora do quarto com a língua ensanguentada a mostra ele cai no chão agoniza e morre. Quando Tália se aproxima de seu marido e pergunta: Vamos pra casa meu amor, antes que venham lhe prender mais uma vez.

Eu não sou David, Eu sou uma Divindade infernal. Olhe para cima, Lá está o seu marido livre, não por muito tempo. Diz o demônio com uma gargalhada. Eu tenho uma missão para ele. Agora a sua alma é minha e nada poderá tirar ele de mim. Tália se assusta olhando para cima ela ver a alma de David flutuando, com um olhar distante David a cena para sua esposa dizendo que um dia voltara a encontra-la mais uma vez. Tália inconformada ajoelha-se no chão e pede para que o demônio lhe tire a vida. O demônio sorri e diz: Não será você a alma que vai tira-lo de mim. Vá embora agora!


Nem sempre estamos prontos para ultrapassar alguns limites.

Fim
Autor da Estória: Lúcio Soares.

Baú de estórias

Mostrar mais